segunda-feira, 31 de março de 2008

Audio Rebel 29/03

Luzes, câmera...

Rock!

Choose a Life cruzando a poça e tocando para a galera do “curso superior”. Depois de passar a noite em claro por alguns problemas pessoais, eis que o dia 29/03 se inicia belo, com uma aura positiva. Logo, eu e minha irmã Susanna estamos dentro de uma van, a caminho de Niterói, a cidade sorriso. O estresse se fez presente, pela falta de paciência para escolher roupas para quem ainda não escolheu o seu modo de enxergar a vida, mesmo tendo a total noção de que cada dia é menos um dia em sua vida. Sabem que não estou falando da minha irmã, até porque, quem teria “saco” suficiente para me aturar filosofar sobre a vida durante 22 anos. Só ela mesmo.

Pois bem, logo depois, lá estava eu, em outro shopping, desta vez o de São Gonçalo, entregando o presente e recebendo a triste noticia de que não teria companhia de grande importância para mim no Áudio Rebel. Logo, pontualmente, as 16:00, estávamos lá em Niterói (novamente) esperando o 996, dirigindo-se para a casa em que tocaríamos em mais algumas horas. Parecia Segunda-feira: Ônibus lotado,poxa, nem no sábado temos um alivio. No mais, vale constatar a diferença estética do outro lado da ponte, sem mais palavras para evitar problemas maiores do que eles já estão.

Pois bem, chegamos na Áudio Rebel. Ninguém por lá, nem mesmo o organizador do show. Logo, avistamos o dono do estabelecimento, que nos encaminhou ao local do show. Enquanto aguardava os instrumentistas se acertarem, eis que surge uma figura, jovial e comunicativa, e de grande importância para a posteridade deste dia, falando comigo e Rodolfo (o homem do chapéu): “E ai, eu sou a Laura, do Musicas intermináveis para viagens!”. Apresentações feitas era chegado a hora do conhaque. E lá estávamos, bobó, Rodolfo, e eu, caçando estabelecimentos em que a cerveja era gelada e o conhaque não era tão caro. Encontrei um barzinho, que estava em reformas, com uma grande cratera em sua frente, fazendo este que voz escreve se tornar o “João do pulo” em destino as garrafas de conhaque, totalmente empoeiradas do local.

Logo, estávamos, eu, Laura, Sidney e sua namorada, os caras do Amor, trocando altas idéias sobre o universo musical, mídia entre outras coisas, já que o M.I.P.V esteve no programa Atitude.Com. Logo, Léo, que passou por momentos difíceis neste final de semana chega ao local. Com praticamente três pagantes, a galera das outras bandas e o organizador do show, estava na hora de subir ao palco. Vale constatar a “zica” atual da banda, já que na passagem de som, a corda do baixo de Rômulo arrebentou, fazendo-o tocar com outro baixo... “Sai exu!”.

O Show: Uma explosão de agressividade, melodia, dança, conhaques e cervejas... Léo sempre preciso em suas execuções, Tácio destruindo seu Kit como sempre, Rômulo, mesmo com outro instrumento, cumpriu seu papel com perfeição. E o que dizer de Bobó, um verdadeiro “Guitar Hero”, se adequando ao pouco espaço que lhe foi fornecido.

O resto... Bem, o resto é história. Quem esteve lá pode presenciar e guardar em sua memória, mas, infelizmente quem não esteve, tem que se contentar em ler este “release meia-boca” de alguém que teve um desarranjo intestinal (leia caganeira) causado provavelmente pela validade vencida das doses de conhaque ingeridas antes da apresentação. Estava louco, chato e pentelho, tenho total ciência disso e assumo qualquer culpa ou gozações posteriores.

AGRADECIMENTOS:

Sidney Santana: Valeu pela oportunidade cara;
Pedro: Vida Longa ao Áudio Rebel.
Rodolfo: Só faltou o chapéu pô;
Laura L: Ninguém quer o teu celular da lanterninha rs;
Dudu: Foi foda rapaz, valeu mesmo.
Rato: Cadê a Foto brother, joga a apresentação no youtube hein...

Choose a Life: Como vocês conseguiram me aturar eu ainda não sei, mas valeu
Do Amor: Pela presença e pelas gargalhadas pós show
M.i.p.v: O RJ aguarda vocês em Junho.

terça-feira, 18 de março de 2008

Texto Qualquer Retirado de algum lugar

Pode parecer a mesma coisa, mas não é.
Egocêntrico e fanático não são a mesma coisa.

Todo o fanatismo precisa ser tratado porque ele tangencia a doença mental. Todo egocêntrico precisa de atenção porque ele também é um desequilibrado. A vida exige que estejamos próximos do caminho do meio em todas as nossas ações e pensamentos. Os extremos demonstram que nossa evolução estacionou.Mas, conviver com a verdade de ambos, do Egocêntrico e do Fanático, é o mesmo que tentar Enxugar Gelo. Toda regra precisa ser revista de tempo em tempo. Nada é eterno e tudo se transforma conforme muda a energia do local e das pessoas. Quanto maior a velocidade com que os fatos são propagados, maior se torna a necessidade de nos adaptarmos a esta nova realidade.

segunda-feira, 10 de março de 2008

A Farsa da Tristeza Alegre

O que Roberto Carlos, Allanis Morissete, Reação em Cadeia, Los Hermanos, Radiohead, Isabela Taviani, Marisa Monte, Ana Carolina tem em comum que os fazem, hoje em dia, alguns dos melhores artistas da musica mundial ???

Será que alguém já parou para pensar nisso?

Porque o pagode faz tanto sucesso???
Posso falar uma experiência que aconteceu comigo mesmo para exemplificar melhor sobre o que quero falar: Quando estava em São Paulo, acho que todos sabem que não tive nenhuma companhia feminina que tivesse a duração maior do que um “período de seis horas em um motel fuleiro”. E sabemos também que o ser humano busca, cada vez mais a sua melhor metade. Então gostava sempre de escutar aqueles refrões do tipo: “Não é fácil não pensar em você, Não é fácil é estranho, Não te contar meus planos... Não te encontrar”.Refrões como esse, foram minhas trilhas sonoras, embaladas por grandes quantidades de álcool e largas doses de insônias, provenientes do meu costume de trabalhos no turno da noite. Logo, em algumas baladas, eu escutava uma música que dizia assim: “Se foram os dias, e eu fico sem você”. Reação em cadeia, basicamente uma “maldição” me foi atirada e eu cada vez mais me afundava naquelas letras, quase em estado de Febre confessional, que por coincidência (será) é o titulo do 3ª cd desta banda gaúcha. A tristeza de deixava alegre: sei que é meio estranho escrever uma frase dessa redundância, mas creio que é a frase que mais se aproxima da explicação que eu quero transmitir. Você tem noção do quanto à tristeza faz parte de sua vida? Vai me dizer você nunca ouviu aquele ditado: “a melhor parte da briga é o perdão?”.

É claro que você já escutou isso, ou algo similar, e com certeza viveu esta sensação com toda a intensidade necessária para se viver este momento. Escutar o Los Hermanos cantarem que “todo carnaval tem seu fim” e o a Isabela Taviani declamar que “está desaparecendo feito uma foto Polaroid” pode parecer estranho, mas soa bem aos ouvidos, parece que cantando isso, uma força interior, proveniente da tristeza em que o interprete canta as linhas vocais, fazendo você sentir a mesma dor que ele quer passar. Quantas vezes eu não já “parti” meu coração escutando o Sorriso Maroto cantar que “Me olha nos olhos e diz que não me quer”, confesso que já perdi as contas.


E a Ana Carolina então, meu Deus dá dor no coração até de escrever que “è magoa, e o que eu choro é água com sal...” saiba que uma lágrima acabou de cair enquanto escrevia este texto, sem motivo aparente. É isso que eu estou tentando passar, a tristeza humana está sendo vendida na loja de Cds mais próxima da sua casa, a um preço bem acessível, com várias promoções que cabem certinho para algum momento triste do seu dia.


rometi a mim mesmo que quando estivesse amando alguém, cessaria com a audição destas musicas tristes... Alguém acha que eu consegui?

quinta-feira, 6 de março de 2008

New Cicle ...


e aqui iniciamos a mais uma caminhada ...