quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Tempo x Tempo

Pensei que só de olhar para o relógio as horas passariam com maior rapidez.
Engano: Com isso, elas demoram à passar... e como demoram.
Cada vez que o ponteiro se move, meu coração pulsa, me fazendo as vezes me confundir entre badaladas e batidas.

Em cada espaço de tempo, uma história.

Tempo, tempo e tempo ... quando ele demora para passar é chato.
Porque quando estou feliz ou quando estou necessitando de aproveitar meu tempo, ele passa tão rápido ?

Não sei.

Acho isso engraçado: Você passa 3 meses compondo, escrevendo letras, fazendo rimas, fazendo efeitos para a guitarra, testando afinações, brigando, fazendo as pazes ... para chegar em um palco e ficar por 20 minutos.

Ou então: Você trabalha o mês todo, se cansa, tem que regularizar seus hábitos, briga com a esposa por conta do trabalho, esquece dos filhos, esquece dos amigos, faz hora extra ... e quando recebe, seu dinheiro vai embora em 5 dias.

O tempo é cruel ... segue apenas suas próprias premissas e com isso, machuca ou agrada as pessoas que o necessitam.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Amor em Estado Bruto

"Exagerado, jogado aos seus pés..." Sim, eu sou mesmo exagerado. Falo das estrelas com uma intimidade que somente alguém com a mais bela sensibilidade podem descrevê-las. Falo da facilidade das coisas da vida, e também de sua brevidade, mas entre um dia de trabalho e outro, esquecendo da máxima do "Carpe Diem", porém não esmorecendo e deixando de acreditar nas poesias.

Falo do nosso amor como algo inigualável para os olhos leigos no quesito paixão. É o fogo que queima o encontro destes dois corações apaixonados, e que, mesmo com o frio de todas as manhãs, ele insiste em queimar. Esse amor queima mais que tudo na vida: É ele que vem nos sustentado, revigorado nossas forças, revendo nossos conceitos e transformando alguns paradigmas em motivo de belas e longas risadas.

Tenho a certeza de uma equação de que acreditas nisso tanto quanto eu, e que sabe que este "exagero" nada mais é do que amor em estado bruto, sem pretensão nenhuma de ser lapidado, moldado ou medido.

Esqueça as medidas, e venha viver a melhor parte do amor: A melhor parte de mim, os melhores sonhos de sua vida e as mais importantes metas já traçadas em sua existência. Falando em existência: Nosso exagero não fere ninguém, pelo contrário, a falta dele pode machucar quem não precisamos machucar, já que sem o nosso exagero nos tornamos pessoas preocupadas, mal-humoradas e preconceituosas... Nos tornamos seres humanos.

Em nossa vida tem poesias sem data de validade, sem reflexos de nostalgia, ou até mesmo a possibilidade de que estes momentos de exagero só fiquem, daqui a alguns anos, como uma "lembrança boa".

Lembraremos dele, mas lembraremos de uma forma diferente: Teremos saudade de nosso passado, de nosso inicio, de nosso carro sem freio que nunca bate... Mas teremos orgulho de nosso presente [como temos] e grandes expectativas para o futuro: Nosso Futuro.

"E por você eu faço tudo..." Realmente não teria como não fazer nada: És minha fonte de sorrisos, meu objeto de devoção eterna, és aquela luz que não tem como se apagar: És a luz que vem de nossos corações e que mesmo no escuro, ela estará no fundo de nossos olhares.

Então, saiba NUNCA ficarei triste quando me chamar de exagerado. Farei tudo da mesma forma: Contarei as estrelas, seguirei as poesias e farei alguns belos versos, para mostrar o real significado da palavra Felicidade.

Meu exagero não é nada mais do que Amor em estado bruto... Não lapide-o, guarde em seu [meu] coração e cuide para que ele permaneça assim: Forte, Bruto, Imensurável e Avassalador.
Meu exagero se chama Amor, minha desmedida só tem um nome: A mulher de meus sonhos, que sempre esperei e que tudo que está em mim, pertence-a.

"Eu nunca mais vou respirar Se você não me notar ... Eu posso até morrer de fome Se você não me amar..."

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

EXTREME CONNECTION TOUR 2009

A tour já estava marcada desde Outubro/2008. Seriam dois shows, uma gravação de Split, muita correria e muito Metalcore/Deathcore.
-
A Banda: Andragma, direto de Salvador.
-
Problemas: O show do dia 23 furou, não conseguimos grana suficiente para gravar o split e não conseguimos hospedagem. Na correria, fizemos o primeiro show dia 24/01, no Check Matte, em Pachecos. O Show a Aurorah foi destruidor, com muita empolgação em cima e embaixo do palco... Assim também foi o da Andragma: Mais brutal impossível. Probleminhas, brigas e verdades imputadas para alguns "funcionários do Rock" foram vomitadas por este que vos escreve, causando um principio de briga, mas que, só serviu para incrementar mesmo essa mini-tour.

-

Já na madrugada, conseguimos para dormir no mesmo palco que horas antes estávamos pisoteando. Desconforto total, mas sorrisos na cara. Descobri que a simplicidade e vontade de mostrar a arte existem em outras pessoas também... Creio que por isso a química perfeita neste "bate-volta" do ultimo final de semana. Acordando, conseguimos uma mangueira para tomar banho e decidimos fazer um "macarrão baiano".

-

Só esquecemos de um detalhe: "Não tínhamos pratos, talheres e afins". Depois de alguns minutos em um sol escaldante conseguimos alguns para fazer nossa refeição. Panca cheia, hora de rumar para o show.
-
Chegando lá, encontramos amigos, comemoramos, mas, a saudade já estava em nossos olhos, tanto os olhos cariocas quanto os baianos. A intera rolava solta: Sem dinheiro, conseguimos a façanha de comprar um "refrigereco" e dividir com quase 15 pessoas... Coisas que só acontecem nestes momentos.



Show da Aurorah: Abrindo os trabalhos, e com uma nova ordem de set list, mais visceral, conseguimos tirar moshes incríveis, assim como a alegria de todos em acreditarem em nossa verdade, mostrada em cada grito, cada mosh e cada circle pit.
-
Show da Andragma: Tocando seu set completo, posso dizer que foi o melhor show da noite. Gilberto em noite inspirada, assim como rafinha em todos os solos. Pachara destruindo a bateria e Will e Nei junto com a Aurorah, unidos no "mosh do pijama".
-
Ao final, abraços, fotos e aquela vontade de fazer mais um show, de prolongar a tour, de dormir mais vezes no chão, de fazer mais macarrão sem molho, de correr atrás de vans para nos conduzirem as casas de shows...
-
Mas hoje é segunda, infelizmente.
Já com saudades...











sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

O terço, o carro, a conversa e afins

Neste mundo de hipocrisia, lá pelas 16h00min da tarde, me oferecem uma carona. Aceito de pronto.
Logo, ao adentrar no carro, avisto um terço. Sinônimo de crença, religiosidade, fé... Ainda não consegui entender.

Falamos de dinheiro, e de como é fácil enganar e ser enganado por causa dele. Tento não falar muito de minha vida, mas ao ser questionado "vomito" minhas insatisfações: Falo de trabalho, as responsabilidades imputadas desnecessariamente à minha pessoa, falo do preconceito, dividas família, amigos e mais alguns assuntos. Me pergunta sobre meu namoro, ou melhor, pergunta se eu namoro alguém.

Digo que sim, mas tento desconversar. Logo uma blitz: ele fala dos documentos vencidos, das multas atrasadas... Logo, passa a mão em seu terço, faz o sinal da cruz e passa ileso pelos policiais. Salvo pela fé? Ou apenas pelo acaso?

Começa a falar de traição: Pergunta se já tive duas mulheres ao mesmo tempo. Falo do ar condicionado do carro dele, que está fedendo por conta do couro novo em que ele colocou no estofamento. Pergunta-me se eu tenho o costume de trair: Respondo de pronto que não. Fala d à mulher que ficou com ele por três anos, mesmo sendo casado a doze. Fala dos filhos, fala de suas funcionárias que fazem "boas coisas" para manterem seus empregos...

Pergunta se estou satisfeito em meu emprego: Digo que não e mais uma vez, ele passa a mão em seu terço, faz o sinal da cruz, e, um carro quase bate na gente.

Logo, ao fazer o que tinha de fazer, ele me pega e retorna ao trabalho.
Novamente ele passa a mão em seu terço, faz o sinal da cruz, lá está ele me questionando sobre a minha música. Vejo que ele quer conversar. Pergunto sobre alguns procedimentos relativos à suposta área de atuação. Ele se enche, infla seu ego e fala... Assim a viagem continua.

Descubro o porquê do terço: Sinônimo de crença, religiosidade, fé... não, mais uma vez ele passa a mão em seu terço, faz o sinal da cruz e me responde com um olhar duvidoso.

- Não, é apenas hipocrisia.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Curvas Sinuosas - A Resposta

Acelere sempre... É isso que mantenho.

Não consigo pensar em nada mais quando estou ao volante de minha vida: Esquecendo o freio e qualquer problema referente à ignição, troca de óleo, gasolina, água no radiador e afins... Eu realmente esqueço de tudo.
Só penso na liberdade presa que me é dada ao estar no comando.

Sei o que pensas e sei o que queres.

Sei por que quero o mesmo, mas sei também porque penso diferente: Sim eu estou ciente do peso de "Nosso Veículo" e sei que ainda preciso aprender muito sobre freadas bruscas e acidentes por imprudência ou por ousadia demais.

Mas o que quero é te levar... Levar-te para uma viagem que não terá fim. Uma viagem em que a gasolina nunca será o problema, e nem mesmo a falta dela nos fará parar em algum lugar. Eu me abasteço de você e você se abastece de mim, não precisamos de nada mais. Tenho a verdade mais absoluta em minhas mãos e quero dividi-la com você. Continuo ciente de seus pensamentos:

"Meu deus, um maluco no volante...”.

Não, eu não sou o "Maluco do volante". Sou apenas alguém que chegou para lhe ensinar a dirigir de uma forma inovadora, algo que tenho certeza de que você nunca viveu em sua vida. Mesmo com a sua kilometragem e sua experiência, nunca viu algo parecido. Não, eu não sou convencido e muito menos garanto que o meu modo de dirigir é o correto... Mas sua prudência precisa de minha ousadia para funcionar, e eu sei que você, somente você, sabe disso.

E como eu sei?

Porque eu também preciso de sua experiência. Cansei de bater em postes, caminhões e automóveis e não conseguir ter o controle em algumas curvas sinuosas em minha "estrada”, da mesma forma que você faz suas curvas tão perfeitas, mas tão perfeitas que se esquece de acelerar, deixando outros "carros" passarem sua frente.

A vida é uma eterna temporada de fórmula 1: Não precisamos ganhar, mas temos que pontuar em todas as etapas. Mas não pontuaremos com o pé no freio, ou com medo dos estragos ou das conseqüências... Conseqüências: elas virão de qualquer forma. Se frear demais, alguém te bate e se não frear, corre o risco de bater em alguém, mas também corre o risco de conquistar seu tão sonhado lugar entre os campeões, com direito a troféus, champangnes e afins... Por isso te peço:

Não consigo fazer sozinho: Você tens o controle, mas eu tenho a chave. Sem controle, a chave não presta de nada. Confie no poder de "nosso veículo": Ele não falha.

Ele não falhará.
Acelere... Sempre.

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Holotes da Fama...Luzes da Fome

Dos holofotes da fama,
Para as luzes do trabalho.
Dos berros ideológicos,
Para o atendimento de voz branda.
Dos aplausos que recebi,
Para o "vambora" do patrão.
De todos os sorrisos musicais,
Para a seriedade trabalhista.

Toda segunda feira é sempre igual:
Luz, Computador, Corel Draw, Cara de sério.
Ah, se todos os meus dias fossem iguais a este.

Ultimo sábado... Amor, Musica, Aplausos, Sorrisos

Da Fama à Fome.
Do Luxo Ao Lixo.
De Guilherme a guilherme.

Até a próxima fantasia...

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Muito além de Teorias e Verdades

Colocar em prática uma teoria é uma tarefa complicada. Pensamos, pensamos e assim que temos o plano perfeito, a teoria concreta, nos pegamos em algum problema para colocar em prática.

Muitas vezes não colocamos em prática nossa teoria por simples medo. Tem o medo de dar errado, de nos colocar em caráter ridículo ou até mesmo de se externalizar. Este é o maior erro do ser humano: O medo de se externalizar.

Criamos planos, teorias, teses, proposições que, em nosso ponto de vista, nos parecem à coisa mais concreta e mais perfeita que já existiu, mas, se é tão perfeita, porque temos medo de colocá-la em prática?

Temos medo de expressar nossas verdades, como se elas, fossem motivo de escárnio para a sociedade, mas realmente acredito que a sociedade é motivo de escárnio para minhas verdades. Será que nossas verdades são reais motivos de zombaria para as pessoas que te circulam?

Eu realmente não sei.

Minhas verdades visto de forma externa, são geralmente tidas como loucas para todos que me circulam, mas até hoje, sempre me orgulhei de colocar minhas teorias em prática.

Afinal, qual é a medida, me diga quem mediu [Jay Vaquer].

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Nosso Horizonte

Algumas belas frases para começar o seu dia;
É pouco, mas é o que ofereço de coração.
Nestes poucos versos, gostaria que entendesse,
O que você realmente representa para mim

Sabe aquela estrela que só brilha para você?
Sabe aquela flor que só perfuma quando você está?
E aquele sorriso que só se abre quando você aparece?
É o meu coração, que só ama porque você existe...

Palavras não resolvem muita coisa
Nem mesmo as atitudes, às vezes.
Não nos preocupemos com o que não é amor
E muito menos com as frases feias e difíceis.

Saiba que és meu céu, meu mar, meu tudo.
Tudo que este ser efêmero nunca teve,
Tudo o que este ser efêmero mais deseja,
Viver nossa efemeridade,
Caminhando para a eternidade

Dizer que é para sempre? Dizer que te amo?
Meu olhar fala por minhas palavras.
Já que, ao te avistar em um dia comum,
Me deixas mudo, ao sorrir para o horizonte.

Nosso horizonte, onde caminharemos juntos.
Sem nada que nos desvie deste lindo querer
Pois apenas ao seu lado consigo sorrir
E apenas com você desejo prosseguir

Obrigado

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Curvas sinuosas

Sim, vivemos em um eterno transito. É carro para um lado, ônibus para o outro, fazer e refazer seus horários para se adequar ao trânsito caótico de todas as cidades. Quantas vezes os engarrafamentos lhe tiram o humor, lhe fazem desmarcar compromissos ou então chegar com um atraso gigantesco? Isso comigo é uma constante.

Geralmente tenho a estratégia perfeita para o transito caótico: Música. Ao entrar em um ônibus, carro ou afins ligo o som, ou puxo meu inseparável MP3 player para amenizar as distancias e manter o sorriso até a viagem se findar. Lembro-me da vez em que esqueci de carregar as pilhas, e ao ligar o aparelhinho, nada foi tocado. Um "bico" até o final da viagem, diga-se de passagem.

Muitas vezes não sabemos que somos os próprios pilotos [ou motoristas, decida você] de nossas vidas. Sabemos exatamente à hora certa de acelerar, brecar, abrir seta, pisca - alerta e quando devemos ultrapassar outros carros, ou apenas um simples sinal vermelho. Um carro com mais kilometros rodados pode ganhar em experiência, mas pode perder-se em uma prudência esmagadora que poe toda sua experiência de kilometros e kilometros em questionamento. Porque os mais experientes, não são os mais ousados ?

Porque não juntar a experiência com a ousadia? Porque não ultrapassar pelo acostamento às vezes, e porque não esquecer, pelo menos por um momento que o freio não está ali? Você pode estar se perguntando: "Mas assim, sou multado" ou "Sem freio, posso bater no primeiro poste".

Pode?
Mas é claro que pode... Todos batem.
Eu já bati...
E você? Nunca bateu?
Duvido.

Guie da forma que todos guiam, e chegue aos lugares ao mesmo tempo de todos irão chegar... Faça o que todo mundo faz e tenha os mesmos méritos que todos têm.

Fuja do convencional... Acelere!

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

O MUNDO MUDO

Disfarçado em uma coisa só
Mostrando a essência efêmera de um simples corpo vil.
Quantos passos serão necessários
Para que eu me sinta completamente só?

Até pensei que poderia ser felicitado
Pelo dom divino de poder viver em paz,
Mas a utopia me cegou mais uma vez
Coroando-me rei das ilusões.

E me fazendo andar em círculos
Em uma estrada sem inicio
E tudo o que faço, E tudo o que penso,
É somente um escudo, apenas um escudo.

"E no momento em que percebi
Que tudo em que acreditei é superficial
Que minhas certezas absolutas
Não passavam de crenças individuais
Meu mundo caiu, meu chão se abriu.
Mostrando a beleza de uma realidade cruel
Com gritos que apavoram e condenavam meu próprio ego
Percebendo então a "inpresença" de minh’alma
Eu já não domino mais minha própria vida."


Ao ser aclamado por sua queda linear
Não posso dizer nada para um mundo mudo.
Abro os braços e com ele um sorriso,
Eis-me aqui, um expectador fiel e irracional.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

Efêmero x Eterno

Sendo mais efémero, consigo eu a eternidade ?
Ou as eternidades me trariam uma efemeridade ?
Não faço versos para que fiquem para a posteridade,
Faço para não parecer tão eterno neste mundo efêmero.
Sou falso, plástico e inescrupuloso ?

Ou sou apenas alguém que não mereça importância ?
Acho que sou apenas eu,
Um expectador efémero deste mundo eterno.
Repetições, repetições e mais repetições,

efêmero, eterno,eterno,efêmero.
eterno, efêmero, efêmero, eterno.
Repetições, repetições e mais repetições.
Tente viver de forma menos plástica,para fugir da eternidade.

E viva intensamente para se desviar da efemeridade.
O mais eterno dos Efêmeros ?

Ou o mais efêmero dos Eternos ?

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Labor

aqui, todo dia é a mesma coisa:
ao acender as luzes, um novo espetáculo.
mais que um show de horror,
apenas mais um dia caótico em minha vida.
será mais 359 dias de agonia ?
ou consigo me safar de forma branda ?
por enquanto, não sei...
mas tento fingir que estou sorrindo aqui dentro.
sorrisos sem dentes
frases sem palavras
opiniões desrespeitadas
conflito de gerações
a cabeça já dói automaticamente
e eu ?
quando penso em explodir...
acaba-se mais um dia neste enfadonho expediente.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Novo ano, mesma merda ?

Um novo ano já começou.
aquele mesmo blá blá blá de sempre.
mas eu nunca paro.
pro inferno as boas intenções.
o que fez de bom no ano passado ?
fez alguém feliz ?
deu alguma esmola ?
bem, eu não dei...
quem pediu minha opinião ?
então, mais um ano chegando,expectativas ?
as mesmas:
viver feliz
conseguir sorrir mais
conseguir ser melhor do que já sou.
nada de egocentrismo não,só uma questão de necessidade.
metas ?
mudar de emprego.
me dedicar mais a faculdade.
beber menos.
visitar amigos.
comer mais verduras.
e menos besteiras.
amar infinitamente.
dar beijos interminaveis.
acordar sorrindo por estar ao seu lado.
tocar com a minha banda.
continuar fazendo poemas bestas como esse.
ou então tomar coragem para não fazer.
novo ano, nova vida ?
eu não acredito.
saiba que eu só quero você,
para sempre,
para sempre,
para sempre,
para sempre,
feliz ano novo ?
nem sei se vai ser bom,
mas vou vive-lo.
que venha 2009 então.
chegou ?
chegou.