segunda-feira, 30 de março de 2009

Fora do Mapa by Dead Fish

"Que seja sem destino
Que seja sem razão
Que seja tão intenso como tudo deve ser
Eterno como um minuto sem explicação"
*Fora do Mapa. Dead Fish - "Um Homem Só", Faixa 04

sexta-feira, 27 de março de 2009

Enquanto isso, no pais das maravilhas...

Greve Rodoviária. Posso dizer que foi lindo.
Em meio a todo aquele caos urbano, eu divagando sobre a realidade social, a urbanização exarcebada e outros fatores.

Sim eu era mais um dos hipócritas que recorreram a um carro para que me conduzisse até o ponto mais fácil para pegar uma nova condução. Mas também fui aquele trabalhador que, com o dinheiro contado, necessitou fazer uma "baldeação" entre lotações para chegar ao seu destino.

Ser favorecido e desfavorecido em um intervalo de duas horas. Confesso que, sendo favorecido, pude pensar divagar sobre várias questões e ainda mais, aproveitar por estar mais um momento perto de quem eu gosto de estar. E sendo desfavorecido, me atirei em mio aos transportes alternativos lotados, com várias pessoas de pé e suando, necessitando chegar ao seu destino, com medo de uma demissão ou até mesmo de um prejuízo relativo ao horário de chegada ao serviço.

Ser favorecido é fácil demais. Consegui tomar meu café com tranqüilidade, escutar as notícias, escovar os dentes, pentear os [poucos] cabelos, enfim, consegui fazer tudo porque saberia que seria favorecido.

Mas e quando entrei no primeiro dos dois coletivos que tive que pegar: Descaso, suor e desespero para chegar rápido. Com medo do transito violento e com vontade de pular da lotação e voltar para casa, com medo dos perigos urbanos que nos atrapalham e nos desestimulam dia após dia.

Enfim, viva o favorecimento, mas saiba se portar no desfavorecimento.

quarta-feira, 25 de março de 2009

Tempo

Ainda temos tempo ?
Ainda temos tempo.

Será que estamos vivendo ?
Ou apenas respirando ?

segunda-feira, 23 de março de 2009

As coisas que não entendemos...

"E quando o mundo passar, ainda estaremos aqui”.

Um encontro nada convencional, uma noticia inesperada tirou o meu sossego na ultima terça-feira. Descobri que minha amiga, Marcilene Lopes Loiola, no auge de seus 28 anos, veio a falecer no dia 25 de dezembro de 2008. Mesmo recebendo essa noticia quase três meses depois, os calafrios permanecem.

A ultima vez em que encontrei Marci [para os amigos], ela estava em frente ao meu trabalho, no ponto de ônibus. Eu, como sempre, fiz alguma brincadeira e um abraço apertado, daqueles de saudade, selaram nosso reencontro. O Mês era o de Julho, que agora ficou marcado como a ultima vez que vi Marcilene.

Conversamos sobre tudo: Sobre o Mauricio [filho dela] sobre a nova criança que já estava com dois anos, para se ver o tempo que estive longe de seu convívio. Trabalho, estudo, musica e tudo mais, relembrando os velhos tempos de Pré-Vestibular, em que nós nos conhecemos. Ela, que sempre chegava cedo para arranhar algumas notas no piano velho daquela igreja morma, e eu, que sempre chegava cedo para compor algumas canções adolescentes.

O popular: "Pô, tu toca rock nesse teclado?" foi o inicio de nossa amizade. O resto é história.

E nas flores da vida, sempre nos encontrávamos. Nada marcado, sempre alguma estripulia do acaso. Já trabalhamos no mesmo lugar e não sabíamos, já fizemos outros cursos juntos, já estivemos nos mesmos shows e nunca nos vimos... Essas coisas de amizades desencontradas. Mas sempre que nos encontrávamos a festa era normal. E é isso que irá ficar marcado. Essa lembrança de alegria que tínhamos apenas por sabermos que, em qualquer esquina, poderíamos nos encontrar e "jogar um pouco de conversa fora" já bastava.

Mesmo com atraso, leve minhas sinceras condolências. Nada para falar, alias, nunca tenho nada para falar em momentos como esse. A única coisa que martela minha cabeça é que nossas vidas estão passando rápido demais. Precisamos correr para aproveitá-la e assim, não morrer em vida, com aquela sensação de "poderia ter feito mais".

Meus pêsames, Marcilene.
Descanse em paz, minha amiga.

Marcilene Lopes Loiola faleceu no dia 25 de dezembro de 2008, ás 14h00min, fruto de uma infecção no fígado. Os médicos não conseguiram diagnosticar tal infecção antes de seu falecimento.

"E quando o mundo passar, ainda estaremos aqui”.


sexta-feira, 20 de março de 2009

BELO ESTRANHO DIA DE MANHÃ

“É só um jeito da gente ficar junto
É só um jeito de eu enlouquecer com você
É só um jeito da gente ficar junto
É só um jeito de eu enlouquecer...”


Enlouquecer?
Se ser louco é te amar, então que seja.
Dizem que louco fica rindo de tudo...
E eu sorrio bem mais quando estou com você.
Louco de você?
Louco por você?
Louco com você?
Pouco me importa meu grau de loucura,
Se você estiver comigo, tanto faz.
Tanto faz ser louco ou normal
Contanto que me ame loucamente.
Você é louca também?
Você é louca também...
Um duo de loucos, desvairados, amantes e amados.
Sinta-se feliz por ser louca,
Porque de nossa loucura, entendemos muito bem.
Feliz por ser louco feliz por ser amado.
Se ser louco é te amar, então que seja.

"Vai ter mais tempo pra gente ficar junto
Vai ter mais tempo pra enlouquecer com você”
* Roberta Sá - Belo Estranho Dia de Manhã *

quarta-feira, 18 de março de 2009

Correr para Crescer

Um dia desses, na volta de um ensaio com a Aurorah, fui questionado por um amigo:

- E então Guilherme, como estão as coisas ?
- Bicho, nada tá tão fácil não, mas estão melhorando.
- Isso ai, o negócio é esse mesmo: Correr para Crescer !

Quando escutei essa ultima frase não havia me dado conta do que ele realmente havia falado. Achei que fosse alguma gíria daquelas que sempre o escuto proferir, ou então algum jargão que ele sempre utilizou, mas, o que realmente importa é que essa frase mexeu comigo.
Correr para crescer, essa é a atual preocupação de todos hoje em dia. As vezes sou cobrado por algumas coisas que, sinceramente, não entendo bem. Uma dessas coisas é o fato de estas sempre “em movimento”. Para se ter uma noção dessa inquietude: A Aurorah teve um recesso no carnaval e quando voltamos, já tinha mais de oito shows marcados. Eventos marcado até o final do ano. Algo como se eu não tivesse parado de funcionar na semana do Carnaval.
E realmente não paro. Estou sempre em movimento intenso e sem precedentes. Por isso o tal “correr para crescer” me foi tão sugestionado. Acabei criando algumas teorias sobre isso, e realmente cheguei a conclusão de que em tudo que se tem uma oportunidade de crescer, é necessário correr. E em tudo que se corre, conseguimos crescer. Ultimamente li no jornal que a solução para a crise internacional encontrada por algumas pessoas é recorrer ao concurso publico. Não posso dizer que nunca pensei nessa hipótese, mas pensar nisso como a “salvação” já é uma coisa complicada demais para minha cabeça pensante.
De um dia para o outro eu virei “concurseiro”. Estou afiado quanto as ultimas convocações, quanto aos concursos que vão abrir, as bancas examinadoras e afins. Nem mesmo o quantitativo dos candidatos me causa algum medo. Mas, se eu disser que nunca pensei nesse “lance de crise” , poderiam me chamar de mentiroso. Mas realmente não pensei (que chamem !). Mas será que ganhar um salário meio que astronômico para os moldes brasileiros de R$ 600,00 e um Rio-Card, é a verdadeira salvação para a crise ?
A crise não está na falta de dinheiro, mas sim pela necessidade de obter mais e mais, sempre. A crise está dentro de você. Se ninguém tivesse falado sobre a crise, você não saberia que o mundo está assim, então, porque agora, colocar a culpa de tudo na bendita crise. O que fazer ? Concursos Públicos ? Vender Carros ? Poupar em sua caderneta. Acho que a primeira coisa a se fazer é se tratar. Depois o resto seria mais fácil.

Continuarei a tentar ser aprovado e convocado em algum concurso.

segunda-feira, 16 de março de 2009

Lenine - Circo Voador [14-03]

É sempre bom juntar o útil ao agradável. Unir um momento feliz com uma data especial pode ser algo que funciona muito bem. E foi isso que aconteceu no ultimo sábado, dia 14-03, em que estive no Circo Voador para ver o show da Tour Labiata do Lenine. Em motivo pela comemoração do aniversário de minha dadivosa patroa, decidimos ir. Após um dia cinza, chuvoso e meio frio, saímos para curtir um ótimo som e comemorar a data.
Um passeio pelas ruas da Lapa, vimos que o movimento, ainda baixo, tinha sido prejudicado pelo Iron Maiden, que se apresentaria na Aponteose. Mas vamos ao Circo: É aquela velha história, quem conhece, sabe. Adoro o Circo Voador. Me sinto bem naquela casa. E tocando alguns "sambinhas modernos", nos quedamos em danças. Ela Sambando de forma ímpar e eu, sem sambar, mas me mexendo como podia. O resultado foi positivo.
Impossível ver um set montado para quatro músicos e não ficar na expectativa de ver "que bicho vai sair dali", já que pela complexidade musical do artista citado, quatro músicos é um numero reduzido pela quantidade de musicalidade embutida. Mas isso também funcionou.
Começando com "Martelo Bigorna" e já emendando "Lá e Lô" fiquei contente, pois saberia que encontraria músicas que nunca achei que teria oportunidade de ve-las ao vivo. E assim foi: "Acredite ou Não", "O dia em que faremos contato" e "Candeeiro Encantado" foram gratas surpresas para este rapaz que, na metade do show, já estava vendido pelo talento em doses cavalares deste pernambucano envenenado e inquieto.
Pausa para "O que me interessa" ... Momento Mágico. Momento Belo.
Enfim, tive a grande surpresa pelo set não contar com "Jack Soul Brasileiro" e "Paciência" , mas confesso que fique feliz em saber que a ausência destes sucessos deve-se apenas em respeito a uma votação na Internet, que foi respeitada, tocando apenas as músicas escolhidas. Ponto para o Lenine.
Uma volta tranquila, um sono tranquilo e um novo dia se iniciava, com as lembranças da maravilhosa noite de sábado que passei. O Melhor disso tudo é que a felicidade não acabou no sabadão. Ela prossegue. Aqui estou, trabalhando com um sorriso de "canto de boca" .
Acredite ou Não...

sexta-feira, 13 de março de 2009

Madrugada

Sexta Feira 13, dia de jogar na mega-sena.

Das 24 horas passadas, só duas foram dormidas.

Totalmente ligado, sem fome e sem danos.

Mas odeio esse lugar, esse cheiro, essas roupas.

Levanto, vou tomar um ar, enquanto aguardo.

Começa a chover, passando o jornal da Globo.

Falam sobre o Ronaldinho, eu ligo o som.

"Memórias de um Sargento de Milícias" e Shadows Fall.

Começa CSI no Sbt.

A máquina de café está com defeito.

O frio começa a incomodar.

Como nos cansamos no ócio.

Um socorro.

Uma Ajuda.

Um banho quente.

Duas horas de sono.

E pronto para iniciar tudo de novo.

"Onde estou com a cabeça", sou questionado.

Eu estou com a cabeça em você... até o fim.

Quantas madrugadas forem necessárias.

Sexta feira 13, cuidado com o Jason, e com o gato preto.

quinta-feira, 12 de março de 2009

A INÉRCIA E A METAFORA DOS MACACOS.

O que fazer quando se está parado no tempo ?
- “Nada”

Ótima resposta. Mas não me deixa satisfeito com ela. Aliais, quase nada nesse mundo tem me deixado satisfeito: É tanta ganância, competições sem necessidade, aquela coisa de “um querendo ser melhor que o outro” , “um querendo sacanear ao outro que lhe cumprimenta todo dia no ponto do ônibus”.

Nada de egocentrismos ou misantropia gratuita, só precisava de oxigênio em meu cérebro.

Mesmo parado, e necessitando esperar por alguma coisa que nem sei direito o porque estava esperando (detesto esperar) não consigo utilizar esse tempo vago para pensar. O “não pensar” é o pensar em tudo, assim como o “pensar em tudo” é muito mais do que um “blefe” qualquer.

Imediatismo é a palavra. Sou muito imediatista. Esperei incessantemente por 23 anos para que uma melhoria acontecesse em minha vida. Agora que aconteceu, quero mais (vai entender !)
Quero mais sim, fico me perguntando quando que mais coisas irão acontecer. O mais complicado é o querer e o “querer logo”. Sempre voto na segunda opção, mesmo sabendo que as coisas não funcionam dessa forma.

Nossa, que pessoa feia que acabou de passar por aqui !
Cara cansada, olheiras, semblante destruído e pesado. Já tem cara de uns 60 e poucos anos, mas está acompanhado por um outro rapaz que parece ter a minha idade. Que desnível. Não quero terminar assim !

Ser macaco é complicado, mas é mais complicado ser humano. Ser humano.
Aquele ser humano que pula de galhos. Sabe, pular de galhos fracos para galhos fracos não está mais me bastando. Quero pular para um galho que me estabilize, acalme minha mente e me deixe realizar algumas coisas.

Ser humano. Prefiro ser eu mesmo.

terça-feira, 10 de março de 2009

No Shopping

Escrever no Shopping é algo complicado.
Quanto mais você procura o silêncio, menos o acha. Mesmo concentrado nos escritos presentes, sempre tem uma vitrine brilhante te convidando para dar uma “olhadinha”.

Pessoas, sorrisos, conversas, celulares: A maior expressão da banalidade em um Shopping. Para que estar onde todos estão ? Essa vontade louca de estar onde a grande massa de acéfalos urbanos se encontra chega a me dar nojo.

Aqui na minha, sentado em frente a uma loja e de costas para uma casa de fliperamas, fico esperando meu telefone tocar com alguma novidade, ou até mesmo a notícia em que estou esperando. Penso em minha namorada e faço um poema. Fico divagando sobre possíveis letras de músicas para a minha banda, entre outras questões pessoais existenciais não pertinentes para você que lê este texto.

O silêncio é impossível mas pelo menos aqui tem ar condicionado. Tá um “inferno” lá fora.

Será que o meu patrão capitalista vai me pagar certinho hoje ?
Mesmo não sendo capitalista, estava precisando de um pouco de dinheiro, ou melhor, precisava de uma limonada bem gelada. Enfim, precisava de dinheiro e da limonada. Dinheiro para comprar a limonada.

Já disse que está quente lá fora, né ?
Daqui a pouco vou pegar o 4º ônibus dos 7 que estão programados para eu pegar hoje. Queria poder chamar a minha namorada para ir em um barzinho, um lá na Cantareira, para tomar uma cerveja e escutar um Rock and Roll. Talvez eu chame. Talvez eu vá. Ou então, me contentaria com um belo copo de leite para adormecer tranqüilamente. Um café também não seria rejeitado.

segunda-feira, 9 de março de 2009

Mulher

Eis que vem ela ...
Sem dizer uma palavra, me beija.
Ela é assim, fala em silêncio.
Como uma orquestra muda.
És a minha mulher, és a minha atriz.
Alguém que me salvou de um pior momento,
Alguém que me privou de emoções tristes
És a minha mulher.
A tradução mais fiel de minha felicidade.

quinta-feira, 5 de março de 2009

60 segundos de hostilidade gratuita.

Palavras curtas, tempo curto
possibilidade de mudança, movimentação acelerada.
Pena, dó e empatia, infelzimente tudo isso exite em mim.
Feliz porém triste.
Será que eu consigo ?
Preciso Conseguir.
Necessito de Oxigenação em meu cérebro.
Coração palpita sem parar, sem descanso.
"Só essa movimentação me anima..."
Mas eu quero mais, muito mais.
Realmente eu Nunca estarei Satisfeito.
Com alergia à convivência,
Guilherme Fernandes.

terça-feira, 3 de março de 2009

Ô abre alas, que eu quero "dormir..."

E lá se foi o carnaval...
Voltando a realidade:
404 e-mails pendentes em minha caixa de mensagens;
Isso é que é vida, hein?
Mas está tudo bem, Independente dos pesares, das atitudes imprevisíveis, das paranóias urbanas e da maquina da vida que não para de rodar...
Ela nunca para.